ARIANA GRANDE CEDE ENTREVISTA À REVISTA ROLLING STONE

Ariana Grande está no auge da sua carreira e qualquer jornal ou revista fala sobre a cantora que atingiu o topo de todas as tabelas com o seu novo álbum, My Everything. Há uns dias foi divulgado uma imagem de uma entrevista da cantora que estará presente na famosa revista Rolling Stone. Podes ver em baixo a imagem e a tradução da mesma:


Ariana Grande
A artista revelação do verão nos seus erros gramaticais, ao gostar dos Aeroshmith e a ver demónios. 
Por Brian Hiatt

"Podes esperar um segundo?" diz Ariana Grande. "Estou tão  distraída porque estou a tentar ficar pronta." Grande, 21, está a escolher a roupa para um evento televisivo o que é sem dúvida um coisa stressant: "Não quero um colar estilo Petter Pan porque faz-me lembrar o Addy do American Horror Story, diz a um assistente bastante séria. Mas vejamos, ser uma estrela pop com um crescimento gigante - com dois singles ("Problem" com Iggy Azalea, e "Break Free") a disputar o lugar de música do verão; um álbum, My Everything, acabado de sair, e uma enorme pressão para a performance nos VMAs, é muito para a actriz do Nickelodeon que se tornou inincrivelmenteensual. "Eu não me importava de conquistar o mundo." admitiu depois alguma insistência.

Podemos ouvir-te a rir no inicio da "Problem". O que é que teve tanta graça? 
Estava a rir-me de mim mesma, porque [os produtores-escritores Max Martin e Savan Kotecha] disseram-me para fazer algo do género "Estou de volta!" como um ad-lib (uma coisa opcional, à vontade). E acabou a soar como a coisa mais horrível que já ouviste na tua vida, como a Samara do The Ring, como uma vilã de um filme de terror. Eu estava tipo "Não podemos usar isso!" E começei a rir-me completamente histérica. 

O que aprendeste com o Max Martin?
Eu sempre gostei de R&B, mas aprendi muito sobre o Pop com ele - a sua matemática, e a sua fórmula. Uma vez, ele fez uma mudança muito estranha para blues, eu estava a cantar e isso acabou por resultar num acorde maior. Eu fiquei tipo "Wow, isto é muito mais cativante". As pequenas mudanças na melodia fazem uma grande diferença.

Outra música do Max, "Break Free", é fantástica, mas a letra levantou algumas questões. Tipo, "Never by the Hands Of a Broken Heart"? Um coração partido tem mãos?
Ugh! Bem, é suposto dizer que não quero morrer devido a um coração partido. É isso! Eu nem... seguinte!

O verso "Now That I've become who i really are" ficou famoso. Definitivamente isto foi escrito por um sueco. 
Sim, lutei com eles por isso, tipo "Oh meu deus, estou a ter um ataque cardíaco gramatical, por favor deixem-me dizem "am"! Mas depois disse "É pop. Vou divertir-me e cantar uma letra gramaticalmente incorrecta, porque não?"

Ás vezes a tua pronúncia é difícil de perceber. 
Definitivamente eu devia trabalhar a articulação. Eu e a minha avó estávamos no carro a ouvir a "Break Free" e eu perguntei-lhe "Nonna, gostas?" e ela disse "Eu não sei o que estás para ali a dizer, mas não há problema, porque a tua voz é linda". 

No vídeo, gravaste foguetes a sair do teu peito. A Katy Perry lançou chantilly das delas. E a Gaga metralhadoras. Numa batalha, quem ganhava?
As Fembots do Austin Powers iriam ganhar, porque têm armas nos suas mamas peludas. 

Disseste que não estavas confortável em ser uma sex-symbol. O que mudou?
Quer dizer - quando é que eu disse isso?

Qual achas que é a melhor música pop de todos os tempos?
Oh, Deus! [Pausa] "Vogue". Fiz uma playlist fantástica ontem... devias ouvi-la. É tudo Madonna - tipo, todos os álbuns - e Aerosmith e RuPaul's "Sissy That Walk".

Espera, Aerosmith?
Tive uma fase em que era uma pequena rockeira, e era obcecada por Aerosmith. Usava pulseiras pretas e achava que era mesmo fixe. Isto foi, tipo, no quarto ano. 

Quais são os teus outros heróis musicais?
A Witney Houston era a minha favorita. Quando ela faleceu, obriguei o meu produtor a levar-me ao hotel onde ela morreu, e eu sentei-me á porta a chorar. Gosto das Destiny's Child, Christina Aguilera, Donna Summer, e a minha mãe ouvia muito Barbra Streisand. Amo as divas. 

Passaste a tua adolescência como atriz, mas não pareceste muito triste com o cancelamento de Sam & Cat. Tens saudades de representar?
Tenho saudades dos musicais, e fazia qualquer coisa para poder participar num filme de terror. Mas não sei se mais alguma vez representar vai ser o meu foco principal outra vez.

Fizeste uma escolha tanto ao quanto sinistra, escolheste os Slytherin como a tua casa no jogo do Harry Potter, Pottermore. Parece-me o lugar errado para ti. 
Eu não escolhi os Slytherin, os Slytherin é que me escolheram. Sou um bocadinho dos Hufflepuff, e um bocadinho grande dos Slytherin. E nem todos os Slytherin foram maus - O Snape foi das personagens com um maior coração, e nem todos sabiam disso!

Toda a gente está fascinada pelo facto de teres visto demónios num castelo assombrado no Kansas.
Oh meu deus. Agora toda a gente fala de demónios comigo! Sou um demónio, pratico Kabbalah e sou vegetariana! Isso é o que as pessoas pensam. Depois dizem "Esta miúda é louca! E eu já nem vejo nada disso à muito tempo. 

Talvez os VMAs deixem os demónios em alerta e eles voltam. 
[Risos] Os demónios da música pop? Do que é que estás a falar?